Script de execução do slideshow, pode ser visualizado normalmente.

Consultoria em Inclusão & Diversidade

Menu do usuário

Menu de acessiblidade

Blog da Desenvolver

Dicas para a construção de um evento ACESSÍVEL e com respeito à DIVERSIDADE

Vivemos em um momento em que a diversidade está mais evidente! E para conhecer e respeitar todo esse mundão de gente diversa, é preciso saber se comunicar. Para isso, reunimos algumas dicas para auxiliar você na construção de um evento acessível:

1)   COMUNICAÇÃO NEUTRA DE GÊNERO

A linguagem neutra de gênero é jeito de se comunicar onde não utilizamos a binaridade entre feminino e masculino e sim: pessoas. A linguagem binária não é representativa para todas as pessoas, porque existem pessoas que não se identificam com os gêneros feminino e masculino.

Não dá pra dizer que tem uma forma padrão para a adoção da linguagem neutra, tem que se buscar formas alternativas para construir frases que nos acostumamos a usar, quase sempre, no masculino. Como por exemplo:

Os participantes do evento  » Participantes do evento

Por:

As pessoas participantes ou que participarão do evento.

MAS NÃO ESQUEÇA! X E @ NÃO PODE!

O “x” e o “@”, na grafia das palavras, não são pronunciáveis, o que limita seu uso à linguagem escrita e os torna não acessíveis para pessoas com deficiência visual.

Além disso, o fato de não terem impacto na linguagem oral não promove uma real transformação na forma de nos comunicarmos.

Então, já criamos uma estratégia para nos comunicar de forma mais neutra agora vai a outra dica: conhecer as necessidades específicas de cada participante!

2) PERGUNTE ÀS PESSOAS O QUE ELAS NECESSITAM DE ADEQUAÇÃO/ADAPTAÇÃO

Existem regras específicas de acessibilidade (vamos falar mais na frente sobre elas) e sim, elas devem ser seguidas, afinal são leis. Mas elas não contemplam muitas vezes as especificidades da diversidade do grupo de pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida. Por isso perguntar é superimportante.

Utilize estratégias no formulário de cadastro de participantes com perguntas como: possui alguma necessidade específica?

Gente, aqui é importante usar a palavra específica e não especial! #Peloamordedeus, especial não tem nada a ver com ser pessoa com deficiência. Quer entender mais sobre capacitismo? Acessa o ebook.

Necessita de tradução em Libras? Necessita de Audiodescrição?

Outra estratégia bem interessante é enviar e-mail para a pessoa participante, solicitando informações mais precisas sobre as especificidades e necessidades.

Exemplo: se possui tetraplegia, poderá precisar de maca e não de banheiro com barras de apoio para extração da urina; ou ainda, se por ter baixa visão prefere audiodescrição e não o material ampliado, ou se for uma pessoa caracterizada com transtorno do espectro autista, uma sala com som mais baixo e luz mais amena poderá facilitar o aprendizado.

3) ENTENDER A LEGISLAÇÃO ATUAL: NBR 9050 e LBI

Conhecer e entender a legislação atual é bem importante. Para isso sugiro aqui duas leituras: NBR 9050 e LBI – Lei Brasileira da Inclusão.

Baixe aqui a versão 2015: http://www.abntcatalogo.com.br/norma.aspx?ID=344730

Baixe aqui a LBI: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13146.htm

Após a leitura você conseguirá entender melhor conceitos relacionados a acessibilidade, tecnologia assistiva e será capaz de ir para a próxima etapa.

4)   CONHEÇA O LOCAL

Conhecer o local antecipadamente é fundamental para identificar as estruturas e possíveis trajetos que as pessoas farão, área de alimentação, descanso, banheiros, tecnologias que serão disponíveis e liste, tire fotos e mantenha um diário de bordo, pois você precisará montar um plano de ação.

5)   INSTRUIR A EQUIPE

Acessibilidade humana é a barreira mais difícil de ser quebrada quando se fala de inclusão e diversidade. Por isso, você PRECISA realizar uma formação sobre sua equipe, relativa a esse tema, antes do evento acontecer. Nós, da Desenvolver Inclusão & Diversidade, estamos à disposição para realizar essa atividade.

Esse treinamento não deve basear-se em gentileza ou ajuda e sim em protagonismo e práticas anti-capacitistas.

Exemplo: não é ensinar a empurrar uma cadeira de rodas e sim, se colocar como disponível à pessoa com deficiência ou com mobilidade reduzida. É dar uma orientação à pessoa com deficiência visual usando recursos de audiodescrição.

Outra alternativa é contratar os Serviços de Assessoria Inclusiva de Eventos da Desenvolver Inclusão & Diversidade!

Os Serviços de Assessoria Inclusiva de Eventos da Desenvolver Inclusão & Diversidade contemplam uma equipe especialista em Libras, Audiodescrição e Recepcionistas com expertise em práticas inclusivas.

Pessoas com Deficiência deverão em seu evento ter o DIREITO de escolher se querem ou não ajuda, AUTONOMIA é a palavra chave aqui.

Queremos um evento em que se destaque a CIDADANIA.

6)   MONTE UM PLANO DE AÇÃO

Com base nas 5 sugestões anteriores você terá dados suficientes para mapear as necessidades adaptativas e poderá construir um plano de ação.

Não se esqueça de colocar no plano de ação as condições climáticas, pois chuva forte ou sol escaldante impactam significativamente no deslocamento de participantes do evento e imaginem para usuários de cadeira de rodas e pessoas com deficiência visual, pois infelizmente nosso sistema de transporte público deixa muito a desejar e nossas ruas com seus buracos e poças d’água… Aff, nem se fala!!!

Montou o plano? Peça ajuda especializada para a execução!

Então, para encerrar, queremos deixar aqui a palavra mais importante para você construir um evento com respeito à inclusão e diversidade: EMPATIA!

Respire e seja empatia, só assim você terá de fato um espaço que respeita a diversidade!

Para entrar em contato com a Desenvolver Inclusão & Diversidade, clique aqui ou envie um e-mail para desenvolver-rs@desenvolver-rs.com.br.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.